Por favor, Google, não acabe com o Orkut

Não Mate o Orkut

Hoje me surpreendi ao ler uma matéria vinculada na Folha (link aqui) que dizia que o Google vai acabar definitivamente com as atividades do Orkut. Diante disso, resolvi escrever uma pequena carta que, espero eu, possa chegar aos olhos de alguém capaz de lutar pela causa. A seguir.

Por favor, Google, não acabe com o Orkut

Caro Orkut,

eu ainda era um adolescente quando ouvi seu nome pela primeira vez. Era uma combinação pouco comum, que mais tarde eu descobriria ser o nome de seu criador. O Orkut, até então, era um serviço para o qual só se tinha acesso via convite. Sim, ter um perfil era algo destinado apenas para pessoas escolhidas, um serviço cujos usuários eram pessoas importantes e selecionadas. Puro marketing, imagino eu.

Quem diria que você fosse crescer tanto? Eu me lembro de ter descoberto um mundo totalmente novo na mesma data do ingresso. Foi em você que eu encontrei as primeiras pessoas que, assim como eu, gostavam de construir maquetes, pequenos projetos que, exatamente como você, mais tarde se tornariam grandes.

Me recordo como se fosse ontem. Eram nichos pouco comuns. À época, era difícil encontrar indivíduos que eram tão aficionadas por futebol europeu quanto eu. Em meu grupo particular de amigos, eram poucos os que acompanhavam. Mas graças a você meu mundo se expandiu. Encontrei milhares de outras pessoas com gostos semelhantes nesse e em diversos outros setores. Através das comunidades, conversava com pessoas que gostavam dos mesmos esportes, das mesmas músicas, dos mesmos filmes e tratavam sobre os mais variados assuntos em diferentes níveis de especialização.

E era também construtor de identidades. Todos sabiam quais eram meus gostos e preferências, era como gritar ao mundo quem era eu, mais até do que dizia o modo se vestir, por exemplo. Geeks, skatistas, amantes da literatura, partidários políticos. Qualquer que fosse sua tribo, você foi um elemento cultural que auxiliou na criação e desenvolvimento de grupos, tal qual suas individualidades coletivas. Digo, sem medo, que você mudou meu país.

Foi a primeira vez que reconheci novos amigos. Os serviços de mensagens instantâneas e salas de bate-papo pouco tinham a oferecer diante do novo universo trago pela plataforma. Com os perfis, não eram mais anônimos. Todos tinham nomes e rostos. Evoco a emoção de enviar o primeiro scrap, receber o primeiro depoimento. Ainda me lembro das primeiras fotos postadas, ainda na era das câmeras antigas, quando se tinha que usar um scanner para transportá-las ao computador, algo extremamente raro de se achar à época. E as conexões discadas não eram de grande auxílio nos demorados uploads. Mas por você tudo valia a pena.

Nem todos os adolescentes tinham ou têm facilidade de entrosamento. Mas você permitiu que se fizesse novos amigos, aproximando até mesmo usuários com quem não se tinha uma amizade tão intensa, ampliando o leque de camaradagens e paqueras. Os aplicativos de jogos como o Buddy Poke viraram febre, e eram incentivo ao flerte juvenil.

Mas um dia você mudou. Colocaram um layout diferente, que não agradou muita gente. Alguns o abandonaram por isso, mas vários se mantiveram fieis. Assim como quando apareceu outra rede social, com um feed de notícias um tanto quanto atraente e em evidência nos países mais desenvolvidos. Mas jamais, eu repito, jamais, houve algo que incentivasse tanto às novas amizades quanto o Orkut. O Facebook e outras redes são ótimas para aqueles que já são amigos, mas deixam a desejar quando se busca informação especializada, e embora o sistema de fóruns não seja nem de perto tão prático e eficiente.

Até dezembro do ano passado, éramos ainda 6 milhões de usuários mensais. E agora, após tanto tempo, a Google quer simplesmente apagá-lo. Sim, ainda há vida no Orkut. Eu não faço ideia do que vocês perderiam com a manutenção da rede social, mas não migrarei para o Google + por isso, e também não é por isso que deixarei de usá-lo.

Caro Orkut, em nome de uma velha amizade que até hoje permanece, eu lhe digo: Te segui por tanto tempo, então não me abandone agora.

 

Relembre mais sobre o Orkut clicando no aqui: Orkut, a Rede Social que mudou o Brasil.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Por favor, Google, não acabe com o Orkut

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s