O ChildFund Brasil e o primeiro contato com o marketing

ChildFund Brasil

Me graduei após alguns estágios, principalmente na área de jornalismo impresso. Mas as minhas melhores experiências foram, sem dúvida, na web, plataforma que sempre surpreende pelo mix de mídia oferecido e pela renovação tecnológica constante. Fiz parte de algumas equipes voluntárias, como a do Fanáticos por Futebol e o Cruzeiro.org. No último período, fiz um estágio em uma empresa chamada Virgulinas, onde vigiava o ambiente digital do ChildFund Brasil – Fundo para Crianças, uma organização filantrópica de primeira qualidade, de nível internacional e com a qual me identifiquei muito.

Atualizava, diariamente, o site oficial, blog, hotsite, Orkut, Fanpage, Twitter, Google +, YouTube, entre outras, com informações coletadas através de uma rede social corporativa chamada Rede do Bem. Os representantes e colaboradores do ChildFund Brasil, que possuíam diversas unidades espalhadas pelo Brasil, eram orientados a divulgarem imagens, textos, vídeos mostrando trabalhos e atividades em prol do desenvolvimento das crianças beneficiadas pelo programa (um dos mais efetivos que já conheci, diga-se de passagem). O sistema de Apadrinhamento é ótimo e funciona: a partir de R$52,00 por mês, realmente modifica-se a vida de crianças que vivem abaixo da linha da miséria no país. E a interação entre padrinho e apadrinhado pode ser feita pessoalmente, mas também através de cartas e da internet. Essa é uma causa nobre e vale a pena citá-la aqui e compartilhar com os amigos, frisando que não tenho mais nenhum vínculo empregatício com a organização.

Antes do fim do estágio, acabei precisando passar por uma cirurgia delicada e não pude terminá-lo da maneira que gostaria. Um ano depois, descobriria que o que eu estava fazendo ali era nada mais do que Marketing Digital, embora sem tanta profundidade. Isso é chamado de Marketing de Conteúdo, onde você utiliza da atualização constante para que as pessoas continuem acessando o seu ambiente digital e serviços de Social Media Manager, gerindo Redes Sociais. Na época, eu nunca havia falado em SEO (Searching Engine Optimization), que de uma maneira extremamente ríspida é a escolha das palavras certas para que o seu site seja facilmente encontrado pelos mecanismos de pesquisa (Google, Bing, Yahoo). Tampouco conhecia o Analytics, que te mostra as taxas de visitação do seu site. Eu aprendi a conviver com algumas ferramentas, mas, na essência, não sabia do quão profundo era o Marketing Digital. Nome, aliás, que eu nem utilizava até então, já que considerava as minhas tarefas como “Jornalismo Online”.

Abaixo, um vídeo promocional da organização, a qual eu faço questão de divulgar:

Lucas Amaral Nunes

Anúncios